Contos Ingame "O Assalto a Forja das Almas - Surge a Nova Brigada de Gilneas."

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Contos Ingame "O Assalto a Forja das Almas - Surge a Nova Brigada de Gilneas."

Mensagem por Garou em Qui Maio 09, 2013 12:03 am

Episódio 1
[center]Assalto a Forja das Almas

Capítulo Um - Pelo que você luta?

A proximidade daquele que até poucas semanas atrás era seu “mestre” e controlava seus pensamentos deixava o Cavaleiro da Morte Garou desconfortável. Sentia como se a garra maligna do Lich Rei ainda estivesse em sua mente, mas apenas ouvia seus sussuros profanos, não mais era controlado.
Tanto não era controlado que invadia aquele local, a Forja das Almas.
Garou havia participado pessoalmente da construção daquele lugar. Era um cárcere, uma masmorra onde a vontade e a alma dos inimigos do Lich Rei eram quebradas, até que seus corpos fossem reutilizados e reerguidos como aberrações diversas. Ele mesmo havia capturado muitos dos prisioneiros e prisionerias ali dentro.
Mas hoje era a diferente. Hoje ele lutaria para liberta-los.
Não todos, pois muitos ali mereciam o que estavam recebendo.
Mas três alvos eram certos.
Os três primeiros integrantes da nova “Brigada de Gilneas”.

Ele conhecia bem aquelas plataforma e corredores, não tinha dificuldades em se ocultar nas sombras e, de lá, arrastar suas vítimas com sua Garra Maléfica e mata-las rapidamente. Seu machado brandia de forma firme, porém suave, através dos inimigos.
Nenhum alarme havia sido disparado, nenhum sobrevivente nas plataformas, até que ele estava a frente do salão onde “King Maia”, conhecido por ser o Forjador das Almas do Lich Rei.
O ar gélido preencheu os pulmões de Garoü um instante antes dele saltar sobre King Maia. Iria terminar aquilo com um único golpe. Seu machado foi erguido acima da cabeça, e com toda sua força ele golpeou para dividir seu inimigo ao meio.
Tudo que o machado atingiu foi o ar, e o solo a seguir, com um enorme estrondo.
Parece que não havia sido tão furtivo quanto pensou. Sacudiu a cabeça e riu, sozinho.
O que achava que era? Um Ladino?
- Ora ora, o filho pródigo sempre volta a sua casa. – Aquela voz era intimidadora, e fez o Worgen estremecer enquanto arrancava o machado que havia ficado preso no chão frio. – Você é corajoso, ou estúpido demais, para voltar aqui, Lobo Negro de Gilneas! O Lich Rei pôs uma farta recompensa por sua captura... seja inteiro... ou aos pedaços! – King Maia já manipulava uma torrente rubra de espíritos amaldiçoados entre as mãos, a fonte de seu poder. – E ainda veio sozinho? Absurdo. Estou ultrajado.
Finalmente o Cavaleiro da Morte conseguira retirar o machado do solo, saltando rápido para se afastar do oponente, tinha o machado a frente do corpo e estava pronto para combater.
- Nem todos tem que temer você a ponto de precisar de mais do que a própria força de vontade para confronta-lo, Mestre Forjador... – Rosnou Garou.
King Maia o encarou por instantes, e sorrindo, falou.
- Apenas aqueles que sabem o quanto tem a perder. Você pensa que, por ser um Cavaleiro da Morte, e um amaldiçoado de Gilneas, já perdeu tudo o que tinha para perder. – Ergueu o a mão direita e apontou para alguns dos prisioneiros acorrentados por todo o local. – Mas você não se dá conta que há mais ao seu redor do que você pensa. Você tem seus amigos, aquele Anão Sacerdote, o Elfo Caçador. Há o seu “criado” gilneano, que te salvou. E aquela sua “amiguinha” elfa noturna? A Arcanista? Acha que perdê-los não seria... doloroso?

- Grrrrrrrr...! – Garou não conteve o rosnado, expondo as presas afiadas após ouvir aquilo. E King Maia continuou.
- Você não tem medo apenas “por você”, mas tem mais a perder do que qualquer um, só não pensou direito! –
King Maia abriu os braços, querendo demonstrar toda a situação ali.
- Pelos Deuses Antigos, Garou, você foi o maldito favorito do Lich Rei, seu principal Cavaleiro da Morte, acha mesmo que poderia viver por ai sem que todos os agentes do Flagélo estivessem seguindo seus passos? Eu, pessoalmente, poderia ter arrancado sua alma e a da elfa noturna enquanto dormiam em sua própria cama, seja no Solar Greymane ou no casébre que vocês dividem nos arredores de Ventobravo! –
Enquanto falou, suas mãos teceram movimentos arcanos no ar, e um dos prisioneiros teve sua alma arrancada, aquele globo rubro flutuou até a mão de King Maia, sendo esmagado a seguir com um fechar de punhos.
- E poderia ter feito isto sem que ninguém soubesse o que houve. Esse é um tipo de poder, Garou, um poder que não vêm de seus feitos ou força física. É o poder do MEDO que o Lich Rei impõe. Você, mais do que ninguém, deveria se lembrar disto!- King Maia cerrou o punho, as almas que ali circulavam gritaram em agônia.
Um passo em falso para trás. Aquelas palavras fizeram estremecer o cerne do poderoso Cavaleiro da Morte.
Realmente ele tinha muito mais a perder do que havia pensado.
Estaria ele preparado para arriscar toda sua nova vida por um objetivo... por sua vingança pessoal?

Garou

Mensagens : 10
Data de inscrição : 06/05/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Contos Ingame "O Assalto a Forja das Almas - Surge a Nova Brigada de Gilneas." (Continuação)

Mensagem por Garou em Qui Maio 09, 2013 11:53 pm

Capítulo Dois - O Arauto da Morte.


O Lobo de Gilneas hesitou. Sua mente foi subitamente tomada por uma confusão que ele jamais havia provado.
Em um combate, aquele que hesita primeiro costuma ser o derrotado. Assim que o machado sangrento do Worgen pareceu pesado demais, não um peso material, mas pesado pela decisão a tomar, o Forjador das Almas atacou.

Os gritos de agonia foram o primeiro, e único, sinal da magia negra de King Maia. Suas mãos se moviam em um padrão quase hipnótico, como uma serpente encantando sua presa com seus movimentos. Garou mal pode ver quando o a torrente de almas em agônia espiralou em sua direção, saída das mãos de King Maia, e atingindo o Cavaleiro da Morte no peito, diretamente. O impacto, que não foi físico, e sim puramente mental e espiritual, fez com que seu corpo fosse contorcido de maneira anormal, e isso foi ficou claro quando seu braço direito foi torcido de maneira anti-natural, e o estalo que ocorreu logo depois confirmava que nenhuma junta de um Worgen podia torcer daquele jeito sem ser quebrada. O espasmo de seu corpo foi poderoso, arremessando-o para trás contra a parede de metal do recinto.
Sabia que King Maia era um poderoso feiticeiro, mas jamais imaginou que tivesse poder para, com um primeiro ataque, quebra-lhe um braço...
... e atormentar sua mente de maneira tão profunda.
Aquele ataque havia injetado toda a agonia, dor e sofrimento dos momentos finais de vida daquelas almas amaldiçoadas. Um carga espiritual e mental tão grande e poderosa que nenhum ser vivo poderia continuar vivo após recebe-la.
Mas ele era um Cavaleiro da Morte... e vivo era algo que ele não era há muito tempo.

Um Cavaleiro da Morte não precisa de armas. Ele é a própria arma da MORTE.

Tudo aconteceu em poucos segundos. O uivo tomou conta dos salões gélidos, e o Cavaleiro da Morte moveu-se na velocidade da PRÓPRIA MORTE.
Tinha armas e capacidade total para proteger tudo aquilo que era necessário.
Primeiro ele acelerou seus próprios movimentos, e antes que King Maia fosse capaz de se afastar magicamente, Garou estava a sua frente, e segurava seu pescoço com as garras do braço esquerdo.

-Impossível!- King Maia ergueu as mãos e segurou o braço do Cavaleiro, não tentava se soltar, mas invocava mais uma de suas habilidades letais. Chamas roxas foram inflamadas no braço de Garou, e logo tomara todo seu corpo. -Miserável, vou corromper e arrancar sua alma em um instante!

Mais uma vez o Lobo de Gilneas uivou, rosnando, mostrando as presas e tendo o hálito próximo ao rosto de King Maia. Ele arremessou o Forjador das Almas para o lado direito. Sua cabeça abaixou lentamente, seu corpo ardendo naquelas chamas espirituais. King Maia perdeu o equilibrio e se apoiou na parede de metal, levando uma das mãos ao pescoço, que havia sido ferido pelas garras do Worgen.

-Tolo convencido, como todo o maldito Cavaleiro da Morte liberto! Se acham os senhores da morte, mas esquecem que suas almas são maculadas, presas fáceis para mim!-
King Maia esticou o braço na direção de Garou, e torceu o ar, lentamente, com os dedos enquanto girava o pulso.
-Vou arrancar sua alma corrompida, e entrega-la ao Lich Rei como presente! Vire poeira, Lobo Negro de Gilneas!

Era o fim. King Maia utilizara sua habilidade de Corromper Almas, e fragmentara o espírito do Worgen. Agora ele arrancaria os fragmentos, e consumiria o espírito do inimigo. King Maia sorria enquanto aguardava o desfecho.

Mas o desfecho não veio. Nenhum fragmento foi arrancado. King Maia observava, atônito, a própria mão e o movimento que deveria ter terminado aquilo.
-Como você... como fez isto...?- Perguntou o Forjador de Almas, espantando.

Lentamente as chamas roxas deixaram de queimar o corpo de Garou. Sua cabeça de moveu devagar, observando King Maia. O Cavaleiro da Morte segurou o braço quebrado a pouco, e uma runa escarlate surgiu sobre o membro ferido, ao mesmo tempo que ele torcia-o para recoloca-lo novamente em seu local. Aquela era a habilidade da Runa de Sangue, onde um cavaleiro da morte era capaz de regenerar a si mesmo. Logo após ele falou.
-Aquele que não vive, aquele que é o representante da morte, seu serviçal, seu eterno cavaleiro... o Verdadeiro Cavaleiro da Morte... ele não precisa de uma alma.-
Garou virou-se de frente para King Maia.
-Sentir a mácula do Lich Rei, todos os dias de minha existencia... Aquela marca em minha alma. Nada poderia me livrar daquilo... -
Garou ergueu a garra direita, raios de energia profana começaram a emanar dali, atingindo o chão ao seu redor e, onde atingiam, deixavam uma marca rúnica...
-Então encontrei alguém que me ofereceu libertação e poder... e entreguei-lhe a maldição que o Lich Rei havia me deixado.
Gemidos, urros, sussuros... Aquele era o Exército dos Mortos. Mas não era a forma normal daquela habilidade...
Os mortos se ergueram do solo, saíram das paredes, vinham de todos os lugares, dezenas, não, centenas! todos respondendo o chamado do Cavaleiro da Morte.
No momento em que se reuniram, tomando todo o salão, Garou rosnou baixo para King Maia.
-Vou te dar um gostinho da agonia que você impos a estas almas condenadas... Vou dar a elas, pelo menos por alguns instantes, a possibilidade de exercer sua vingança!-
Novamente o uivo do Lobo Negro de Gilneas cortou o ar nas Forjas. Seu corpo ardeu em chamas espirituais novamente, e elas se espalharam para todos os mortos-vivos por eles invocados. Todos adquiriram consciência naquele instante.
-ESPÍRITOS AMALDIÇOADOS... VOS CONCEDO UM ÚLTIMO FAVOR! - Apontou para King Maia neste instante. - DOU-LHES A DÁDIVA DA VINGANÇA! DEVOREM SUA CARNE, SEUS OSSOS, SUA ALMA!!! LEMBREM-SE AO CHEGAREM NO OUTRO MUNDO, O CAVALEIRO DA MORTE GAROU FOI QUE SERVIU-LHES A JUSTIÇA!!!

-Impossível!!! Alguém que tenha perdido a própria alma não pode ser capaz de realizar um feito deste tipo! -
King Maia preparou-se para transporta-se magicamente para longe dali... mas um morto-vivo saltou, faminto, e mordeu-lhe numa das mãos... levando três de seus dedos no processo e impedindo-o de terminar o feitiço.
-AAAAAAAAAARGHHHHHHHHHH! - Ele segurou a mão ferida junto ao ventre, o sangue jorrou. - Ninguém neste mundo tem poder suficiente para retirar a mácula do Lich Rei... ninguém neste mundo...?!?!

King Maia não teve tempo de concluir seus pensamentos. As centenas de mortos saltaram sobre ele, com fúria, despedaçando seu corpo em instantes.

Garou observou aquela cena grotesca, observou vários dos mortos-vivos dentro dos olhos... Sentia pena por eles.
Mas outro sentimento emergia em sua cabeça...
Era aquele tipo de poder que o Lich Rei possuia...?
Em um misto de horror e de satisfação...
... o Cavaleiro da Morte... sorriu.

Garou

Mensagens : 10
Data de inscrição : 06/05/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capitulo 3 - O Grande Plano...

Mensagem por Garou em Qua Maio 22, 2013 10:40 pm

Capitulo 3 - O Grande Plano...

Havia perdido muito tempo o confronto com King Maia. E também havia desperdiçado energia demais no combate.
O lobo negro de Gilneas sentou-se, pesadamente, com as costas contra um parede qualquer. Havia exterminado tudo que se movia ali, e dava-se ao luxo de recuperar as próprias forças por alguns instantes.
Levou as garras até a cintura, e dali retirou um mapa do local. Seu objetivo estava no andara superior, logo acima de sua cabeça. Blocos de detenção 5 e 6... Eram os locais destinados a aqueles que seriam experimentos do Lich-Rei, criaturas excepcionais que não deveriam ser desperdiçadas.
Garou se ergueu, rosnando baixo, ainda sentindo o braço dolorido. A habilidade da Runa de Sangue era fantástica, mas não miraculosa. Ele ainda senti incomodo no local onde quebrou o braço.
Ele sabia que a partir dali seu caminho estaria livre, até os Fossos de Saronita. Os andares superiores da Forja das Almas possuíam como vigias apenas esqueletos gigantes, e uma ou duas aparições, e nenhum deles era um ser inteligente, bastaria destruí-los sem preocupação com alarmes ou reforços.

Mas algo estava diferente naquele dia...

KEL'THUZAD! O Archlich flutuava lentamente a não mais do que 3 plataformas de distancia! Não só ele, 4 outros membros da SEITA DOS MALDITOS caminhanvam atras de seu mestre. Tinham feixes de energia negra direcionados para o que parecia ser uma tipo de tubo de ensaio, porém de tamanho maior do que um homem. Eles faziam aquela coisa flutuar silenciosamente pelo caminho.
Garou procurou abrigo nas sombras, imóvel, queria saber o que o próprio Kel'thuzad, um dos principais lideres do Lich-Rei, fazia ali...
E que carga seria tão importante para exigir sua presença na escolta...?
Ele procurava uma maneira de se aproximar mais para avaliar o que havia naquele tubo de ensaio, estudava uma rota segura. E foi assim que ele viu uma outra figura surgir a frente de Kel'thuzad. Não era possível ver seu rosto, mas aquela aura profana não era desconhecida...
Mas o que estaria fazendo SHADOWMASK, o Feiticeiro das Sombras, um morto-vivo leal a Horda, e a Sylvannas, neste lugar... e tendo uma amistosa conversa com KEL'THUZAD??

- Ah, Feiticeiro das Sombras! Soube dos resultados de sua conspiração! A Cidade Baixa quase caiu... Mas o Lich Rei não ficou satisfeito em ser alvejado pela nova praga criada por vocês. - Kel'thuzad ordenou que seus servos parassem assim que se aproximou do Feiticeiro.
- Em breve ele certamente mandará convocar você para explicações.

- Imprevistos acontecem... A grandiosidade de variáveis possíveis, resultados imprevistos e consequências não esperadas... Bom, Sylvannas ainda tem cartas na manga... Mas ainda assim ela acaba jogando a nosso favor. - Shadowmask abriu os braços, conformado. - Fique sabendo que lutei a pouco ao lado de THRALL, SYLVANNAS, VOL'JIN e SAURFANG, para a retomada da Cidade Baixa e que, desta vez, tudo saiu como o esperado. O ódio cresceu, a fé foi obscurecida e a esperança sofreu um grande baque.
- Horda e Aliança estarão enfraquecidas em breve... - Contemplou o vazio por instantes, em silencio.

- É um plano louco... Audacioso... Talvez por isso você possa realiza-lo, Malak Draclaus Dullahan. Vejo que realmente você deixou de ser um mero aprendiz meu, e se tornou um mestre... Um mestre na mentira, astúcia e manipulação. - Kel'thuzad não tinha um tom de voz elogioso quando falou aquilo.
- Aqui esta seu pagamento, como o Lich Rei prometeu. - Apontou a "tubo de ensaio" flutuando atras de si. - Falta apenas banha-lo numa infusão de almas, criada pela Devoradora de Almas, e você poderá leva-lo.

Shadowmask caminhou ate o tubo. A mão esquelética tocou o vidro, limpando e permitindo que o rosto de um homem surgisse.
- Um trabalho perfeito... - Os dedos cadavéricos arranharam o vidro - Sinto como se um espelho para o passado fosse colocado a minha frente... Quantos anos se passaram desde a última a vez que vi este rosto? - Virou-se para Kel'thuzad e o chamou.
- Vamos tratar de negócios enquanto a preparação não termina. Tenho informações interessantes sobre um antigo, e poderoso, potencial aliado que se recupera oculto em um dos planos elementais...


Garou ouviu tudo aquilo.
Se aquele "tubo" era importante para o Feiticeiro...
Então ele teria de leva-lo. Algo criado por Kel'thuzad ... Talvez uma arma?
Não poderia deixar aquilo. Libertaria seus alvos, e depois seguiriam para o local onde a tal Devoradora de Almas estava...
E ele teria aquela arma para si.


Garou

Mensagens : 10
Data de inscrição : 06/05/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos Ingame "O Assalto a Forja das Almas - Surge a Nova Brigada de Gilneas."

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum